Carisma

Os Salesianos são uma Congregação, de direito pontifício, fundada por S. João Bosco. O nosso nome oficial é Sociedade de S. Francisco de Sales, pois Dom Bosco – assim nos referimos familiarmente ao nosso Fundador – escolheu este santo francês (1567-1622), como modelo pela sua amabilidade e paixão evangelizadora. Somos mais conhecidos por Salesianos de Dom Bosco (SDB) ou simplesmente Salesianos.

A nossa missão, dentro da Igreja, é, prioritariamente, a educação e a evangelização dos jovens. O projeto educativo-pastoral que queremos realizar em todas as nossas obras está orientado para a promoção integral da pessoa do jovem e tem o seu fundamento no humanismo cristão.
A missão dos Salesianos de Dom Bosco é desenvolvida em três direções específicas: a missão juvenil, através da obra educativa dirigida aos jovens, sobretudo pobres e abandonados; a missão popular, através da obra pastoral em ambientes populares; a missão propriamente "missionária", em vista do anúncio do Evangelho nos países onde Cristo não é conhecido. 
 
O estilo educativo-pastoral de João Bosco e a experiência de Maria Mazzarello, fundadora com Dom Bosco do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, congregação criada para responder às mesmas necessidades de proteção da população jovem e órfã feminina, deram características próprias à proposta educativa das escolas orientadas pelos Salesianos e pelas Filhas de Maria Auxiliadora. 

Sistema Educativo Salesiano

O método educativo e pastoral é "fundado sobre a caridade pastoral e a bondade" (do pequeno tratado sobre o Método Preventivo escrito por Dom Bosco em março de 1877).  

A escola salesiana procura atingir as suas finalidades com o estilo, o espírito e o método de Dom Bosco, que tem a caracterizá-lo o critério preventivo que ajuda a crescer mediante propostas que encaminhem todas as possibilidades da pessoa para experiências positivas de bem; o ambiente educativo que implica espírito de família, clima de alegria e de festa, convite à criatividade, racionalidade e flexibilidade, trabalho diário e esforço concreto, protagonismo dos próprios jovens; a relação educativa pessoal que reconhece o caráter único e a história pessoal de cada aluno e se traduz em familiaridade entre educadores e educandos, confiança e simpatia para com o mundo dos jovens, capacidade de acolhimento e diálogo; a “presença-assistência” animadora dos educadores entre os jovens que fomentam as suas iniciativas, oferecem elementos de amadurecimento pessoal, previnem experiências deformantes, proporcionam uma visão religiosa da vida; a oferta respeitosa de uma experiência de fé que leva ao encontro com Deus na vida diária, à celebração da fé, à devoção mariana, ao sentido de Igreja; as propostas de compromisso cristão no cumprimento do dever, na solidariedade, na vida social.

Deste modo a escola salesiana converte-se em “família” quando o afeto é correspondido e todos – educadores, pais e alunos – se sentem responsáveis pelo bem comum.

Sistema Preventivo

A missão e o projeto de vida de Dom Bosco, partilhados pela Família Salesiana, exprimem-se num estilo de vida e ação – o espírito salesiano –, são centrados na caridade pastoral, caracterizados pelo dinamismo juvenil, que se manifesta intensamente em Dom Bosco e nas origens da nossa Família (cf. C 10).

Este espírito salesiano encarna-se e manifesta-se na experiência espiritual e educativa de Dom Bosco no primeiro Oratório de Valdocco, experiência a que deu o nome de Sistema Preventivo, que pertence à própria essência da nossa missão: é a nossa maneira de exprimir a caridade pastoral. O sistema preventivo condensa o que Dom Bosco quis ser, o âmago do programa ou projeto pedagógico e pastoral por ele atuado e confiado particularmente à Família Salesiana. 

Uma experiência espiritual

O sistema preventivo encontra a sua fonte e o seu centro na experiência da «caridade de Deus, que previne todas as criaturas com a sua providência, as acompanha com a sua presença e as salva oferecendo a vida» (C 20).

Esta experiência dispõe-nos a acolher Deus nos jovens, convencidos de que o mesmo Deus nos oferece neles a graça do encontro com Ele e nos chama a servi-lo neles também, reconhecendo a sua dignidade, renovando a confiança em seus recursos de bondade e educando-os para a plenitude da vida (cf. CG23, 95).

A caridade pastoral cria uma relação educativa à medida do adolescente, e do adolescente pobre, fruto da convicção de que qualquer vida, mesmo a mais pobre, enredada e precária, traz em si, pela presença misteriosa do Espírito, a força do resgate e a semente da felicidade (cf. CG23, 92).

Uma proposta pastoral de evangelização juvenil

A proposta original de evangelização juvenil parte do encontro com os jovens, valorizando o património natural e sobrenatural que todo o jovem traz consigo, num ambiente educativo cheio de vida e rico de propostas; realiza-se através de uma caminhada educativa, que privilegia os últimos e os pobres; promove o desenvolvimento dos recursos positivos neles existentes, e propõe uma forma peculiar de vida cristã e de santidade juvenil (cf. CG23, 97-115).

Este projeto original de vida cristã é organizado tendo em conta determinadas experiências de fé, de atitudes e valores evangélicos, que constituem a Espiritualidade Juvenil Salesiana, como estilo de santidade educativa, proposta a todos os jovens no sentido do crescimento em Cristo, homem perfeito, desenvolvendo os seus dinamismos interiores que levam à maturidade da fé (cf. CG23, 158-180).

Espiritualidade Juvenil

O segredo do êxito de Dom Bosco educador está na sua intensa espiritualidade, ou seja, naquela energia interior que, nele, une inseparavelmente o amor de Deus e o amor do próximo, de modo a conseguir estabelecer uma síntese entre evangelização e educação.
 
A Espiritualidade Salesiana, expressão concreta desta caridade pastoral, constitui portanto um elemento fundamental da ação pastoral salesiana, é a sua fonte de vitalidade evangélica, o seu princípio de inspiração e de identidade, o seu critério de orientação.

Trata-se de:
 
uma espiritualidade à medida dos jovens, especialmente dos mais pobres, que sabe descobrir a ação do Espírito no seu coração e colaborar no seu desenvolvimento; 
uma espiritualidade do quotidiano, que propõe a vida ordinária como lugar do encontro com Deus; 
uma espiritualidade pascal de alegria na ação, que desenvolve uma atitude positiva de esperança nos recursos naturais e sobrenaturais das pessoas, e apresenta a vida cristã como um caminho de bem-aventurança; 
uma espiritualidade da amizade e relação pessoal com o Senhor Jesus, conhecido e frequentado na oração, na Eucaristia e na Palavra; 
uma espiritualidade de comunhão eclesial, vivida nos grupos e sobretudo na comunidade educativa, que une jovens e educadores num ambiente de família ao redor de um projeto de educação integral dos jovens; 
uma espiritualidade de serviço responsável, que suscita em jovens e adultos um renovado empenho apostólico pela transformação cristã do próprio ambiente até ao compromisso vocacional;  
uma espiritualidade mariana, que se entrega com simplicidade e confiança à ajuda materna de Nossa Senhora. 
Esta espiritualidade ajuda a discernir e enfrentar os desafios da ação pastoral, cria unidade entre todos os que partilham e colaboram na missão.