Restauração (De 1920 a 1940)

Neste período da restauração e reinstalação da obra salesiana em Portugal, reabriram as Oficinas de S. José de Lisboa (1920) e a Oficina de S. José do Porto (1922). Esta última manteve-se sob a orientação salesiana até 1951. A seguir à reabertura das casas de Lisboa e do Porto, os salesianos fundaram ou assumiram a direção de outras obras com características idênticas às dos inícios.

Assim, em 1924, os salesianos entram no Seminário do Sagrado Coração de Jesus em Poiares da Régua; em 1926, fundam o Oratório de S. José de Évora; em 1927, a pedido de D. José da Costa Nunes, Bispo de Macau, vão para Díli (Timor Leste) para orientar uma Escola de Artes e Ofícios; em 1932 abrem o Asilo de Santo António do Estoril, e em 1938 o Instituto Salesiano de Mogofores e assumem a direção da Escola Agrícola de Semide (Miranda do Corvo).